São Paulo tem 7.000 pessoas vulneráveis ao coronavírus morando nas ruas

março 18, 2020



São Paulo possui mais de 24 mil moradores em situação de rua. Dentre esse número, aproximadamente 7.000 mil moradores tem 50 anos ou mais e fazem parte do grupo de risco. 


O dado preocupante foi passado através da prefeitura, que contabilizou com base pesquisas feitas pelo censo. 

Pessoas em situação de rua são mais suscetíveis ao contágio do novo coronavírus, pois elas não têm acesso a medidas básicas de proteção, como lavar as mãos e usar álcool gel. 

Aos profissionais que atuam nos Consultórios de Rua e no Programa Redenção na Rua - voltado aos usuários da Cracolândia - foram repassadas orientações em caso de identificação de casos suspeitos.

Em casos suspeitos, o profissional de saúde deve:

  • Fazer uso do EPI indicado: máscara cirúrgica e luvas em caso de contato direto com a pessoa em situação de rua utilizar álcool gel antes e após as abordagens;
  • Oferecer máscara cirúrgica para a pessoa em situação de rua;
  • Questionar sobre local onde tem estado e dormido e o endereço (avisar o local para adoção de medidas de vigilância e atentar para possíveis suspeitos e contatos no local);
  • Encaminhar e/ou acompanhar a pessoa em situação de rua à unidade de saúde para atendimento e diagnóstico, e em caso de maior gravidade acionar o SAMU;
  • Informar a unidade de saúde sobre o caso, notificar e monitorar o atendimento;



Tecnologia do Blogger.