Cobrador de ônibus que fala mais de 10 idiomas realiza sonho de trabalhar no consulado

maio 18, 2019



O cobrador de ônibus, Edmilson Antônio Silva, realizou um sonho aos 44 anos de idade. O morador de Petrópolis (RJ), sempre foi apaixonado por outros idiomas e mesmo com infância pobre, jamais largou os estudos. Terminou o ensino médio e aprendeu inglês sozinho. Sua paixão por outros idiomas começou desde a infância:
(Reprodução/Internet)


“Eu sugava tudo que a minha professora de inglês podia me ensinar e ficava revoltado quando tirava menos do que 9 na prova”, relembra.
Aos 21 anos, Edmilson já falava inglês de fluente e não se contentou, começou a estudar japonês, sendo destaque entre os mais de 200 alunos da mesma turma.

Em 2000, terminou o curso e ganhou uma bolsa de estudos para o Kumon de japonês. Dedicado e talentoso, foi reconhecido pela professora, que o levou para o Rio de Janeiro para participar de um tradicional curso de oratória do idioma nipônico. O resultado foi uma medalha de prata na competição.
Nas edições seguintes, levou a medalha de ouro. Ao mesmo tempo, cursou espanhol e inglês (outra vez).
(Reprodução/Internet)

Com a necessidade de um emprego, o rapaz foi contratado como zelador na Universidade Católica de Petrópolis (UCP).
Sempre muito dedicado aos estudos, fez uma entrevista de qualificação e ganhou uma bolsa de estudos na graduação de Relações Internacionais.
Conciliava as salas de aula com as limpezas dos corredores da faculdade. Mais: ainda dava aulas de japonês nas horas vagas.
Em 2010, foi o único negro a se formar no curso, realizando o sonho de graduar-se no ensino superior, mas não conseguiu serviço na área.

(Reprodução/Internet)



A partir de então, para sustentar a família aceitou o emprego de cobrador de ônibus.
Sabendo de toda a trajetória do poliglota, uma amiga chamada Barbara Costa, de 26 anos, escreveu um post no Facebook.
“Infelizmente por falta de oportunidade, hoje, formado e cheio de vontade de vencer, o Edmilson teve que voltar para o ônibus. Ele é o retrato dos jovens de Petrópolis que estão tendo que sair da cidade para ter oportunidade de trabalhar em suas áreas, ter salários melhores.” Concluiu.
O desabafo da jovem viralizou e rapidamente alcançou milhares de curtidas e compartilhamentos.              

Nesta semana, Edmilson anunciou nas redes sociais que realizou seu sonho de trabalhar no consulado:

"Minha nova profissão, Graças a Deus.
Sabia que todos meus esforços valeria a pena”

(Reprodução/Internet)



Tecnologia do Blogger.