As tranças nagô eram utilizadas para desenhar rotas de fugas para quilombos

outubro 21, 2018


Com o nome de origem cornrows, popularmente descritas como nagô, esse tipo de tranças, são utilizadas há milênios, existem a cerca de 3.500 antes de Cristo e são muito utilizadas principalmente pela população afrodescendente. São basicamente, tranças de raiz, que ficam rente ao couro cabeludo. Apesar de muitos não saberem a origem das tranças usadas, é importante ressaltar que vai além de estilo ou estética para a cultura africana. As tranças ja foram usadas para identificar tribos, origem, estado civil, religião, riqueza, posição social das pessoas e até mesmo algum problema pessoal.
(Reprodução/Internet)


O que muitos não sabem é que nos países da América Latina, principalmente no Brasil, ultimo país abolir a escravidão, as mulheres escravizadas usavam as tranças de maneira inteligente, como forma de comunicação entre os negros. As mulheres negras tinham o costume da trançar seus cabelos e faziam os mapas na cabeça umas das outras, desenhados com as tranças para encontrar o caminho nas fugas para os quilombos. A simbologia da resistência também é muito forte nas tranças nagô.​



Atualmente a praticidade das tranças, tem atraído grande público, até mesmo para a transição capilar e penteados para festa. Dependendo da forma como são feitas podem durar de duas semanas à três meses de acordo com os cuidados. As tranças podem ser feitas apenas com o seu próprio cabelo ou com fios sintéticos. Apenas com o seus cabelos naturais a durabilidade é menor, e o acabamento permite a possibilidade de deixar os cabelos soltos, coques e estilo de tiara.
Tecnologia do Blogger.