Na véspera do dia da Consciência Negra, atores falam do preconceito vivido por eles

novembro 19, 2017

Na véspera da Consciência Negra, atores falam do preconceito vivido dentro e fora das telas, a entrevista foi para o Jornal Extra.


(Reprodução/Internet)


“Enquanto esperava a porta ser aberta para encontrar o namorado, a jovem foi confundida no corredor do prédio com a empregada da casa. No ponto de ônibus, o rapaz, que aguardava o coletivo, foi revistado pela polícia, mas o amigo nem foi tocado. Ao entrar no restaurante, num bairro nobre do Rio, a menina percebeu olhares incomodados com a sua presença. Dentro do carro com mais três pessoas, o rapaz, que estava no banco de trás, foi o único a ter os documentos pedidos pelo PM, que suspeitava de ele ter sequestrado o amigo, no carona." Essas histórias, são inspiradas nos atores Erika Januza, Marcello Melo Jr., Heslaine Vieira e David Junior. Situação vivida em algum momento da vida por eles.

“ Somos exemplos de pessoas que estão dando essa reviravolta, e torço para que a vida de outros negros possa mudar assistindo aos nossos personagens. Tudo o que se vê na TV pode inspirar. Venho de uma família humilde, as meninas negras ao meu redor nunca imaginaram que, um dia, uma jovem do interior estaria na Globo as representando também. Acho que esses trabalhos estão nos proporcionando um espaço muito legal de diálogo com o público, de discussão”— de “Malhação”.


Foto: BARBARA /Jornal extra


"O preconceito racial pode ser invisível para você, que não esbarra com ele a cada olhar, mas causa dor e revolta no dia a dia de muitos brasileiros. A atriz Érika Januza contou apenas um dos casos de racismo pelos quais já passou, em entrevista ao #JornalExtra : — Eu toquei a campainha e estava esperando abrirem a porta para mim, quando chegou o jornaleiro e disse: ‘Já que você está aí, entrega para o seu patrão’. Olhei para ele e disse: ‘Não é meu patrão, é meu namorado, mas pode deixar que eu entrego’. E isso não tem muito tempo — conta a intérprete de Raquel, de “O outro lado do paraíso”. Érika já viveu poucas e boas, mas não se acostuma (ainda bem): — Confesso que não consigo ter essa paz de espírito e deixar pra lá. Fico bem nervosa. Ao mesmo tempo, acho que a gente vem tomando mais consciência das coisas. — diz. Já passou na hora de mudar, Brasil. " disse Erika Zanuja em entrevista para o Jornal Extra.


Foto: BARBARA /Jornal extra


Tecnologia do Blogger.