Sobre a ausência de um pai " existe ex-mulher SIM, mas ex-filho NUNCA"

outubro 26, 2017



Jhéssika Lima postou em sua rede social, uma realidade que muitas mulheres vivem, a ausência  um pai. E os traumas que causam em crianças, que esperam muitas vezes por a tão esperada visita do pai. Acompanhem o texto emocionante, muitas mães iram se identificar.


(Imagem ilustrativa/Internet)

Sabe, até hoje eu me mantive firme, nunca quis me expor,nem expor minha filha,mas depois de 1 ano e a pessoa continuar desfazendo dá filha pra mim já é demais!
É fácil ser pai quando existe festa de família e você se faz de o melhor pai do mundo.
É fácil passar pelo quintal e dar um abraço e dizer que ama.
É fácil dar um brinquedo no dia das crianças e no aniversário.
É fácil quando os outros perguntam se a filha está bem, o pai abre um lindo sorriso e fala que está.
É fácil pegar a filha saudável, tomada banho e arrumada, pra levar pra ver os avós e bisavós.
É fácil ir em formatura tirar foto e se sentir orgulhoso.
É fácil ir no mercado e comprar um kinder ovo pra filha uma vez por mês.
É fácil pagar um boleto de plano de saúde e achar que tá feito a sua parte de pai.


Mas sabe o que é difícil?? É ser mãe os 365 dias do ano sozinha, é acordar de madrugada pra dar remédio, quando se está doente, é intercalar banho e remédio, preocupações e colo, é ir em não só em festinhas dá escola, mas também ir em reuniões, é deixar de comprar roupa e sapato pra si e comprar pra filha porque quer ver a filha bem vestida e arrumada sempre, é ir no mercado e não comprar um shampoo do melhor, e sim o mais barato porque sua filha dessa vez pediu um Danone que vira sorvetinho e esse é mais caro, é ir no centro da cidade com dinheiro contado e ‘desistera’ [sic] para comprar um salgado que a filha pediu, é juntar dinheiro durante todo ano pra poder fazer uma festinha de aniversário para a filha e ver a felicidade dela ao cantar parabéns, é ir na formatura da escolinha e se emocionar em saber que várias vezes quando a professora mandava bilhete pedindo dinheiro pra algum trabalhinho, foto, ou festinha eu tinha que ‘desintera’ [sic] o dinheiro de pagar outra conta só pra não deixar que minha filha fosse diferente dos amiguinhos, é olhar os cartazes do mercado à procura de promoção de leite para nunca deixar faltar, é ir no mercado e comprar frutas e legumes para filha mesmo ela tendo um pai que trabalha com isso mas durante todo esse ano nunca mandou 2 maçãs se quer para ela comer, é ir no posto que o avô dela trabalha e ela pedir um sorvete e você não ter dinheiro, mas agradecer por ela ter um avô maravilhoso que sempre dá o sorvete, mesmo o papai dela ter passado ali um pouco antes ter tomado várias latinhas de cerveja e não deixar um sorvete pago para a filha, é fácil dizer só sim nos pouquíssimos dias que ficou com ela durante todo o ano, difícil é falar um não educar e corrigir quando ela está errada, é fácil pegar nos domingos de folga, difícil é ter alguém que te fale se acalma Jhéssika, vai ser difícil mas a gente vai conseguir criar a Izadora e fazer ela virar uma mulher do bem, mas Deus me deu minha mãe pra me dar uma palavra de conforto. 
Difícil mesmo é passar 1 ano inteiro sem esse pai ter pagado pensão, ter sido ausente durante 6 meses nem ao menos ir ver a filha ou dar um telefonema, ter renegado ajuda emocional.
Quando se sai de um casamento e se tem filhos os homens deveriam lembrar que existe ex-mulher SIM, ex-filho NUNCA!
Esse print eu mandei a pouco tempo pro “Pai” da minha filha, após ele ter falado pra ela no telefone que não iria vir buscar ela, infelizmente é triste, eu tô escrevendo chorando, meu coração está apertado, mas a justiça do homem está falhando, a de Deus não falha!

Tecnologia do Blogger.