Cresce o número de empreendedores negros no Brasil

outubro 31, 2017



(Reprodução/Internet)
Por conta da falta de oportunidade e da grande lacuna deixada pelas grandes empresas, o afro empreendedorismo já é uma realidade que incentiva cada dia mais a população negra a abrir seu próprio negócio. Em levantamento feito pelo SEBRAE na Pesquisa Nacional por Amostras de Domicílios (Pnad) realizada em 2015, comprova o crescimento de 29% de empreendedores negros. Apesar das pesquisas serem satisfatórias, ainda há índice que comprova que os empreendedores negros tem pedido de crédito consignado negado três vezes mais do que pessoas brancas. Afirma o chefe de escritório de comércio internacional da SBA, Eugênio Cornelius Junior.
 "O fato de eles não ocuparem posições de gerenciamento e cargos executivos atrapalha a sua capacidade de crescer profissionalmente, e, no mundo dos negócios, de ter acesso ao crédito." diz o chefe de escritório.

 Mesmo com todas as dificuldades, os negros são apontados como a maior partes entre os micro e pequenos empreendedores brasileiros. Porem, dominam os mercados de menos expressão, como salões de cabedeleiros e como vendedores ambulantes, faturando 112% a menos do que um empreendedor branco. Esses empreendedores negros são em sua maior parte da região nordeste. 
A ideia principal dos grandes institutos que apoiam o afro empreendedorismo, é desenvolver projetos e eventos para capacitação do empreendedor negro e incentivar o afro consumo, aumentando o poder aquisitivo de pessoas negras e consequentemente, influenciando na inclusão social.


Tecnologia do Blogger.